terça-feira, 19 de outubro de 2010

Gliese 581-g

A descoberta de um planeta Gliese 581-g, com características semelhantes à da Terra, dificilmente pode ser considerado como um sinal de grande probabilidade de vida inteligente. Digamos que já a hipótese de ter vida seria tão provável quanto a da sua existência em Vénus ou Marte... sendo que pouco se saberia acerca destes planetas que são normalmente detectados por perturbações orbitais das estrelas (neste caso da estrela Gliese_581 da constelação de Balança(Libra)), e não propriamente por observação directa...
Arte representando o sistema solar de Gliese 581 e seus planetas.

A recente notícia surpreendente é porém outra:
- R. Bhathal disse que detectou em 2008 uma emissão de luz invulgar vinda desse planeta (ver notícia aqui ou aqui), o que adensou as suspeitas de se tratar de uma emissão não natural, e a presença de uma civilização avançada.
A estrela Gliese 581 na constelação de Libra

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Gobekli Tepe

De vez em vez, as descobertas acidentais e a arqueologia desenterram problemas!
Um dos mais recentes é Gobekli Tepe... um achado recente na cadeia montanhosa de Tauro, no sudeste da Turquia, que vem sendo datado para 10 mil anos a.C. Ou seja, falamos do mais antigo complexo arqueológico, numa altura de nomadismo, onde nem sequer as mais antigas cidades conhecidas existiriam.
As estruturas em T são notáveis, com representações compreensíveis, e notáveis esculturas de animais:
_
Para além de todo o natural destaque ao complexo arqueológico é ainda notável a representação do javali (figura em baixo à esquerda), enquanto figura de culto.
_
Pela semelhança, seria tempo de rever a origem da monumental escultura, com mais de 1 metro de altura e quase 2 metros de comprimento, a denominada Porca de Murça
Seria preciso um olhar diferente, que deveria ser mais do que um ícone para marcas vinícolas... marcas essas que acabam por ser os maiores divulgadores da sua existência!

As sucessivas descobertas em Gobekli Tepe já mereceram algum interesse, ainda que tímido, dos media internacionais, conforme uma reportagens da ZDF, ou da BBC (inserida no vídeo seguinte):

É claro que estes novos factos, ainda que já conhecidos há mais de 10 anos, têm sempre um circuito difícil na divulgação do conhecimento... é difícil refazer uma história tão bem composta, com primeiras cidades em Jericó, Çatal Huyuk ou Mohenjo Daro. Especialmente porque o nível de escultura, mostra que não seria uma cidade isolada, e estaria muito longe de ser a primeira... o nível de concepção sugere a existência de cidades  menos sofisticadas, em fases anteriores.

Esta descoberta faz parecer outras descobertas, anunciadas ontem, nas montanhas do Cáucaso, no sul da Rússia:
.

como descobertas pouco significativas, ao serem datadas "apenas" 1600 anos a.C.
O mais significativo nas descobertas no Cáucaso russo, é o facto de resultarem de fotos aéreas tiradas na Rússia em 1970... tendo sido necessários uns longos 40 anos para uma confirmação in situ.