quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Nebulosidades auditivas (2)

Set the controls for the heart of the sun (Pink Floyd, 1968):
Witness the man who raves at the wall
Making the shape of his question to Heaven
Whether the sun will fall in the evening
Will he remember the lesson of giving
Set the controls for the heart of the sun
Concerto (1972) em Pompeia... onde a ira do Vesúvio fez guardar cor e arte, doutra forma perdida.

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Eclipse now

Hoje, a partir das 6h30 da manhã (TMG) ocorrerá um eclipse total da Lua (o último total tinha sido observado em 2008).
 eclipse lunar de 21/12/2010 (wikipedia)
Entrada em plena Cauda do Dragão - nó descendente.

A maior curiosidade com o eclipse de hoje é a rara proximidade com o solstício de Inverno.
Ocorre no mesmo dia, pela primeira vez em 372 anos (ver notícia); ou seja desde 1638, altura em que Richelieu se aliava à Suécia e se desenhava a Europa de Vestfália (assinada 10 anos depois).

Num episódio pouco conhecido, os suecos chegaram mesmo a fundar a Nova Suécia, perto de Delaware, perdida para a Nova Holanda, em 1655, ambas estas colónias seriam rapidamente incorporadas no crescente império britânico (Tratado de Westminster, 1674).

Refere ainda esta notícia que se avizinha um 2011 como ano pródigo em eclipses...  

fotos da efeméride astronómica

sábado, 18 de dezembro de 2010

Ancoras de Wreck Beach

As imagens das ancoras de Wreck Beach, na Austrália falam por si:

Oficialmente são ancoras de dois navios naufragados: o Marie Gabrielle (1880) e o Fiji (1891).
O que fica à vista é que estas ancoras estão bem incrustadas no recife, coisa surpreendente para naufrágios ocorridos à pouco mais de 100 anos. Fica ainda à vista que os modelos destas ancoras não são muito típicos do séc. XIX, mas isto é apenas uma hipótese, já que não consegui encontrar nenhum estudo acerca da evolução das ancoras ao longo da história.
Tenho uma grande suspeita de que estas ancoras seriam muito semelhantes às dos navios dos séc. XVI, XVII, sendo que as ancoras do séc XVII, como esta de um navio sueco tinha já um traço bem mais moderno e diferente.

Por vezes em Portugal os pescadores encontram vestígios interessantes, a que cuidadosamente não se dá qualquer relevo.
Há mesmo em Tavira uma praia cheia de ancoras de navios (usados na pesca do atum...) que passa despercebida, excepto a quem visitar:

trata-se de um "cemitério de ancoras", e talvez uma adequada lápide à memória da navegação portuguesa.

domingo, 12 de dezembro de 2010

Nebulosidades auditivas

 
Kate Bush - Cloudbusting

I still dream of Organon...
What it made it special, made it dangerous...

On top of the world, looking over the edge, you could see them coming,
You looked too small, to be a threat to the men in power...
I hid my yo-yo in the garden, I can't hide you from the government...

Oh God daddy, I won't forget
It´s you and me, daddy!
Every time it rains, you're here in my head,
Like the sun coming out, like your son is coming out

I just know that something good is going to happen
and I don't know when... but just saying it could even make it happen

Your son is coming out, your sun is coming out.

sábado, 11 de dezembro de 2010

Brasões de Armas

"Brasões de Armas das duas gerações que há no mundo"

-------------x--------------

Maria da Fonte - brasão da revolta popular 
Póvoa do Lanhoso, a 22 de Março de 1846

 PM NP : Provincia do Minho Nossa Polónia

domingo, 5 de dezembro de 2010

Monte Medulio - Serra de Arga

No Mapa Breve da Lusitania Antiga, o padre Francisco Silveira, começa por descrever os montes de Portugal referindo-se ao Monte Medulio, actualmente Serra de Arga, Alto do Espinheiro:
"estrada" (concerteza "romana"), na serra de Arga (Minho)

Não há outro significativo registo na história nacional, mas parece pertencer à história galega o seguinte episódio, quando em 22 a.C., perdendo uma batalha contra os romanos, os galegos e povos vizinhos cometeram suicídio, preferindo isso à escravatura. Silveira diz que na parte mais alta, freguesia de S. Lourenço da Montaria, os lavradores comentavam que no arado ainda a terra mostrava o sangue das mulheres e filhos sujeitos a esse destino de fuga ao cativeiro.

Silveira fala ainda de um "altar de Britonia", na mesma serra, perto de onde teriam morado os "antigos Britões", e teria sido aí que era relatada a fuga de um Bispo, aquando da invasão árabe.

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Cabeza y cola del dragon

Segundo o Diccionario nuevo y completo de las lenguas española é inglesa... (Madrid, 1797)
Dragon's head and tail : The two nodes of the moon. Cabeza y cola del dragon, los dos nodos de la luna, ó los puntos de la interseccion de la orbita de la luna con la eclíptica. (pag. 368)


Os dois nodos correspondem à intersecção da órbita lunar com a eclíptica (o aparente percurso solar no céu, que tem 23º inclinação face ao equador celeste), e por isso são os pontos de referência para eclipses lunares. Na astronomia antiga, astrologia, de influência chinesa, persa ou indiana, a cabeça do dragão (nodo ascendente) era representada a engolir o sol (no caso de lua nova, em caso de lua cheia o eclipse será lunar e não solar). Há um período de 18.6 anos associado à repetição da posição dos nodos.
cf. circa71 - conto chinês sobre eclipse em 2316 a.C. dragão verde tenta engolir o sol. 

A referência ao nome Cola do Dragão, em mapas antigos, onde também aparecia muitas vezes a eclíptica (como é o caso da esfera armilar adoptada no final do séc. XV), onde a Cauda Draconis representava o Sul (e a Caput Draconis , o Norte), pode ainda ser uma justificação adicional para o nome visto nesse mapa antigo que o Infante D. Pedro teria oferecido ao irmão, Infante D. Henrique.